top of page

Primavera de Marta - Mensagem do dia 23.03.2022



Nem sempre despertarás na manhã nova inundado de alegria e bom humor. A noite maldormida, a insônia perturbadora, os problemas não solucionados e as dívidas por quitar podem te impor uma madrugada de agonias na alma. E quando a cabeça não se asserena, a máquina orgânica não consegue repousar.


Certamente não és o único. Junto contigo milhões de cidadãos estão a madrugar, buscando os veículos coletivos de massa para alcançarem a oficina da sobrevivência no horário previsto. Outros, não possuem motivos para essa azáfama tão cedo.


Estão fora do mercado de trabalho, devorados pela ansiedade do que comer a cada dia.


Igualmente saem cedo de casa, buscando pelas ruas qualquer atividade que lhes possa garantir o pão diário. Movimentam redes sociais, distribuem currículos, acionam amigos, temerosos pelo amanhã sem segurança financeira.


Ao lado destes, se agitam inúmeros outros. Agoniados da saúde física e mental, os aturdidos com a violência urbana, os desprovidos da esperança, aqueles que o pessimismo adotou e incontáveis que já não acreditam nem no mundo e nem nos homens, buscando na alienação religiosa uma fuga da insanidade coletiva que atinge todos, deixando sequelas na maioria.


O espectro da ansiedade que ora varre os quadrantes da Terra em convulsão é vasto e quase inabordável.


Difícil dizer qual dor é maior.


As mães que choram a perda de seus filhos para o tráfico ou atingidos pelo homicídio cruel.


O genitor varado de dor, que se debruça sobre o corpo frio de um filho que a tragédia arrastou para o país da morte.


As más notícias em torrente incontida, vazando por aplicativos e meios de comunicação, gerando desassossego e incertezas em milhões de olhos assustados.


Inegável reconhecer que muitas notícias auspiciosas surgem diariamente, estabelecendo a alegria e motivando as criaturas ao bom combate.


A láurea alcançada na graduação perseguida, o concurso público ou privado exitoso, o regresso ao mercado de trabalho, o exame negativo em relação àquela suspeita de uma enfermidade incurável, um alguém querido que chega de longe, sendo portador de notícias felizes e esperançosas.


Os motivos para o júbilo quanto para as lágrimas amargas estão por toda parte, atingindo a quase todos, deixando em cada um suas marcas desditosas ou venturosas.

Não estás na Terra em regime de blindagem contra as ocorrências malsãs. Se hoje sorri ante o triunfo, amanhã a vida pode carrear para tua estrada as mais pungentes reflexões.


A rosa que te fascina é portadora de agressivos espinhos no caule.


A peçonha pode se ocultar num amigo que te trai pelas costas, num afeto que te abandona em plena estação da felicidade e numa separação repentina, que te alcança subitamente.


És um aprendiz, matriculado na escola da vida. Cada dia com suas lições, cada matéria com seu currículo.


Visitado por esta ou aquela ocorrência imprevista, mantém a serenidade de quem sabe que tudo passa.


Escolhe, de maneira equilibrada, as alternativas que estejam ao alcance das mãos, buscando solucionar a questão posta à tua frente.


Se o problema tem solução, adota esta sem tardança. Se não tem, solucionado está.


Não te afastes da paciência, nem te divorcies da confiança.


Ora, mas ara também.


Braços cruzados não erradicam ervas daninhas do campo à nossa frente.


Enxadas e ferramentas reclamam braços na sua utilização.


Guiado pela fé lúcida, que reconhece as causas, não te desestruture intimamente os efeitos. És hoje o que te fizeste ontem, sendo amanhã o que te faças agora.


E por mais que surjam desafios e óbices, persevera na superação de ti mesmo, avança um centímetro que seja por dia e fita tua realização íntima como meta a ser alcançada, talvez não no solo áspero do mundo.


És imortal e nada pode destruir esta tua herança divina.


Se tombares, reergue-te com Ele e persiste na alimentação dos sonhos. A realidade virá de maneira natural, construída a cada dia.


O Divino Amigo das criaturas humanas nunca abandonou Seus amigos, prosseguindo conosco para o que der e vier.


Marta

Salvador, 23.03.2022

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page